Com o intuito de conhecermos mais sobre a trajetória de grandes capoeiristas, o site Capoeira do Bonfim foi atrás de um dos mestres lá formados mais famoso, de conhecimento vasto e grande divulgador da arte brasileira. César Luiz Batista, nascido no dia 8 de janeiro de 1955 em Juiz de Fora, o Mestre César, gentilmente nos cedeu uma pequena entrevista, onde você poderá conhecer um pouco mais sobre esse conhecido mestre de capoeira.

Site Capoeira do Bonfim - Como foi o seu primeiro contato com a capoeira?
Mestre César - Meu primeiro contato foi através do livro de capoeira “Aprenda Capoeira Sem Mestre” do autor Lamartine Pereira da Costa. Eu tinha uns colegas de futebol no bairro Benfica, e alguns que tinham melhor condição financeira, no final de 72, começaram a fazer capoeira no Bonfim. Sabedores que eu gostava de capoeira, me levaram para assistir a um treino.

Site Capoeira do Bonfim - Quando começou a treinar na Capoeira do Bonfim?
Mestre César - Assisti a um treino e logo no outro dia fiz a matricula, final de 72.  Na época já treinavam Neném, Marcelo do Bairu e Careca, que formavam a linha de frente do Bonfim.

Site Capoeira do Bonfim - Haviam outras academias além do Bonfim naquela época em Juiz de Fora?
Mestre César - Haviam mais 4 grupos, o Grupo de Capoeira Gaspareti, Grupo de Capoeira Meia Lua do Mestre Marco Aurélio, o Grupo Bantos do Mestre Eudis e o Grupo de Capoeira Martins, que ficava na rua Carlota Malta, de capoeira angola.

Site Capoeira do Bonfim - Como era o treinamento na capoeira do Bonfim?
Mestre César - Era muito rígido e pesado, voltado totalmente para capoeira regional, e dando muita ênfase a defesa pessoal, lembrando que na época mestre bimba ainda era vivo. Na época, o Bonfim se chamava, Academia de Capoeira Regional do Centro Educacional do Bonfim.

Site Capoeira do Bonfim - Cite alguns colegas de treino que se recorda. E quais deles ainda estão na ativa?
Mestre César - Peroti, Marche, Ademir, Carlos Alberto Cachaça, André, Lobo e Mestre Ricardo, o único ainda na ativa.

Site Capoeira do Bonfim - Havia na época rixa entre academias diferentes?
Mestre César - Havia, não como hoje, mas havia rixa sim. Não era comum um ir na academia do outro, cada um ficava em sua academia, não havia integração.
 
Site Capoeira do Bonfim - Eram recebidas muitas visitas de capoeiristas de fora?
Mestre César - Dependendo da época, no Bonfim eram realizados eventos, chamados noite da capoeira, e nestes eventos, sempre vinham mestres e alunos de outros estados para participar do evento, que iniciava as 19 hr e terminava no outro dia.

Site Capoeira do Bonfim - Vocês saiam para eventos em outras cidades? E como eram recebidos?
Mestre César -
Saiamos muito, para São Paulo, Rio de Janeiro, Santos e muitas outras cidades. Disputávamos campeonatos representando Minas Gerais. Devido a contatos anteriormente programados, éramos bem recebidos, melhor do que muitas vezes nos dia de hoje.

Site Capoeira do Bonfim - Qual a principal herança que a Capoeira do Bonfim deixou para você?
Mestre César - A organização do trabalho, o espírito guerreiro, a vontade de crescer todo dia e sempre realizar grandes eventos.

Site Capoeira do Bonfim - Como é a pessoa Mestre Pinheiro para você?
Mestre César - Pinheiro é uma pessoa de uma palavra só, transmite muita energia positiva. Ele procura ajudar as pessoas, as vezes não é reconhecido e até se prejudica com isso.

Site Capoeira do Bonfim - Como é o capoeirista Mestre Pinheiro para você?
Mestre César - Ele colocou e popularizou a capoeira no município de Juiz de Fora numa época difícil. Fazia apresentações em colégios, praças, eventos... levantando a auto-estima do esporte.  Ele tem uma enorme força de vontade pra capoeira, pois a maioria no lugar dele teria desistido, passando pelo que ele passou e passa.

Site Capoeira do Bonfim - Quando e porque deixou a capoeira do bonfim?
Mestre César - Deixei a capoeira do Bonfim em 1987, pois o Pinheiro achava que se a gente desvinculasse e cada pessoa fizesse um trabalho em seu nome, nos eventos teriam vários grupos presentes. Ao sair do Bonfim, fundei a Associação de Capoeira ABCR, no bairro Benfica, depois, integrei um grupo de BH, coordenado em Minas por Mestre Mão Branca, chamado Associação de Capoeira Negrinhos de Sinhá. E em 1990, fundei a Associação Cultural de Capoeira Palmares.

Site Capoeira do Bonfim - Fale um pouco sobre a história do grupo Palmares.
Mestre César - A Capoeira Palmares foi fundada a partir de 1990 com maior inspiração na cultura do negro. Este nome veio da história dos negros que fugiram para o quilombo dos palmares, onde ocorreu a primeira revolta negra e mais famosa, no qual Zumbi era o líder. Na sua fundação da Palmares alguns alunos vieram do Bonfim como, Élcio e o Correia que me ajudavam desde uma filial do Bonfim que eu coordenava no bairro Benfica. Depois vieram Nivaldo e outros.

Site Capoeira do Bonfim - Qual é a sua opinião sobre a capoeira jogada hoje em dia e o que mudou em relação a jogada antigamente?
Mestre César - Antigamente a capoeira era mais capoeira do que hoje, era de verdade, objetiva e sem o uso de floreios. Com ela o negro se defendia sem armas. Naquela época, não era uma coisa de todos, não era qualquer um que poderia ser capoeirista, só os mestres podiam dar aulas. Jogávamos uma capoeira, que era respeitada por todos da comunidade, o que não acontece hoje. Hoje tem muita gente dando aula e pouca gente treinando. A figura do mestre esta ficando deteriorada.

Site Capoeira do Bonfim - Cite alguns mestres que você admira
Mestre César - Me inspiro no trabalho do mestre Camisa, que desempenha um trabalho muito bom. Acho-o um carro chefe da capoeira hoje, é seguido por muitos devido sua filosofia.

Site Capoeira do Bonfim - Deixe uma mensagem para todos os capoeiristas e aqueles que ainda não conhecem a capoeira.
Mestre César - Considero que não devemos utilizar a capoeira somente para o bem próprio, mas também com o objetivo de formar cidadãos úteis a sociedade.  E devemos também lutar para preservar esta cultura afro brasileira, em todas as suas formas.